Guia completo: como mobiliar e decorar um quarto de criança? | Blog MRV Engenharia

Encontre seu imóvel

Guia completo: como mobiliar e decorar um quarto de criança?

11 setembro 2019

Quarto de criança decorado para um apartamento MRV

Nada mais gostoso do que chegar em casa depois de um dia agitado e ter um cantinho para descansar, não é mesmo? Pois bem, para as crianças isso não é diferente. Por isso, os responsáveis pelos pequenos devem ter em mente que é essencial criar uma boa decoração também no quarto de criança.

Como o seu filho passará grande parte do tempo no quarto — seja para dormir, brincar ou se dedicar aos estudos — a ideia é tornar esse ambiente confortável. O diferencial da decoração do quarto de criança é o rápido crescimento dos pequenos, que pode motivar mudanças mais frequentes no mobiliário ou nas cores escolhidas.

Para facilitar essa missão, confira as dicas a seguir e crie uma decoração incrível no quarto de seus filhos. Vamos lá!

Planeje o que você deseja no quarto de criança

O planejamento é palavra de ordem para toda e qualquer tipo de mudança na decoração. Isso porque ele evita ambientes sobrecarregados, um mix equivocado de estampas ou a compra de uma escrivaninha maior do que o espaço destinado a ela.

No que se refere ao quarto de criança, os enfeites têm uma especificidade ainda maior: como os pequenos têm um crescimento rápido, é normal que as mudanças de mobília, cores na decoração e bichinhos de pelúcia sejam mais recorrentes. Pensando nisso, para facilitar a vida dos responsáveis, o planejamento de um quarto de criança deve considerar possíveis alterações no decorrer da vida do pequeno.

Planejar o que você deseja é o primeiro passo, momento que deve ser dividido com quem usufruirá do cantinho. Mesmo que você seja o responsável e, claro, tenha o poder de decisão final, é muito importante saber o gosto de seu filho, e por que não indagá-lo sobre o tipo de quarto esperado?

Desse modo, é possível planejar os itens necessários — como uma cama-beliche, uma escrivaninha, um nicho para bichinhos e livros, entre outros — para, então, colocar a mão na massa. Separe os itens entre necessários e decorativos e já tenha um caminho por onde começar.

Escolha uma paleta de cores agradável

O quesito cor é um fator muito importante em se tratando de decoração de ambientes. Isso porque uma tinta escolhida de forma equivocada pode deixar o ambiente escuro, torná-lo pesado e, até mesmo, cansativo para os residentes do local.

Como o quarto de criança ainda pode passar por mais mudanças do que o usual, pelo próprio crescimento das crias, a cor das paredes deve ser agradável e o mais neutra possível. Caso cores claras sejam escolhidas, o destaque da decoração pode ser realizado pela mobília e por outros objetos, como um ventilador colorido ou um abajur de cores fortes.

Outro ponto alto de uma cor agradável é a possibilidade de investimento em cores complementares ou mais fortes apenas em uma parede do quarto. Assim, o ambiente não fica com uma característica de muita seriedade, mas também mantém o conforto e o aconchego de um local tranquilo.

Defina a mobília ideal para o quarto infantil

Quem tem filhos pequenos sabe que todo cuidado é pouco quando se o assunto é segurança: as crianças são curiosas e, pela pouca experiência de vida, ainda não sabem identificar situações perigosas ou fazem algumas artes para, simplesmente, chamar a atenção. É por isso que elas sobem nas mesas, podem ser encontradas penduradas nas janelas e pulam de um canto ao outro.

Para tanto, a mobília ideal para o quarto infantil deve ser, em primeiro lugar, segura. Para quartos compartilhados entre irmãos, por exemplo, caso a cama-beliche seja o tipo escolhido, é extremamente necessário adicionar uma grade de proteção à cama do andar superior. Uma outra possibilidade é trocar a beliche por uma bicama, em que a segunda parte só é aberta na hora de dormir.

Os móveis também não devem ser altos — até mesmo para o próprio conforto das crianças. A mesinha de estudo ou escrivaninha, por exemplo, precisa ser adequada ao tamanho de cada um. De quebra, uma mobília com um bom tamanho e com cantos arredondados evita possíveis acidentes.

Armários ou estantes não precisam ser grandes, a não ser que alguma parte deles armazenará roupas de cama, mantas e lençóis. Em caso contrário, manter um guarda-roupa com o tamanho adequado ao espaço do quarto estimula a compra de apenas o necessário. Esse fator também se torna a chave para que o ambiente não se torne um depósito, com a compra excessiva de roupas ou brinquedos.

Inclua os objetos de decoração

Depois de escolhido o necessário — paleta de cores e mobília — é momento de incluir os objetos de decoração. Como mencionado, eles podem ser a grande estrela de um quarto pintado em tons pastéis e com um mobiliário de cores claras.

Ao mesmo tempo, caso a opção escolhida tenha sido por um quarto com cores mais marcantes e móveis no mesmo estilo, os objetos decorativos podem complementar esse mix de personalidade ou, também, de uma forma mais delicada. Em outras palavras, existe um mundo de possibilidades em se tratando de objetos de decoração para quarto de criança.

Antes de sair cotando preços, avalie o planejamento que foi feito para a montagem do quarto: ele terá algum tema? Ele será compartilhado entre irmãos de gêneros diferentes? A ideia é manter o filho único por um período para, então, preparar a chegada para um novo bebê?

Caso a primeira opção seja válida, verifique o tema escolhido pela criança e, também, a possibilidade de incluí-lo na decoração. Nesse momento, é importante ressaltar que os pequenos são extremamente influenciáveis: o desenho preferido de hoje pode não ser mais o mesmo amanhã.

Por isso, a sugestão é criar um ambiente semelhante ao tema escolhido, e não fazer um quarto totalmente personalizado com personagens do filme favorito de seu filho. Por exemplo: caso ele seja apaixonado pelo filme do Rei Leão, pense em objetos que remetem à savana africana. Cores fortes e bichinhos serão o destaque do quarto.

Já quartos compartilhados merecem um cuidado ainda maior, pois precisam de um ambiente neutro ou, separado por cores e estilos. Converse com os seus filhos e sugira a ideia de vocês montarem, juntos, uma decoração para ambos. Optar por cores em tom pastéis e inovar nos objetos decorativos pode ser uma ideia agradável aos irmãos.

Pense no armazenamento e funcionalidade

A ideia, nesse momento, também é avaliar a funcionalidade dos móveis. Contar com uma cama com baú pode significar o local de dormir, para o pequeno, e, também, o baú de armazenamento dos brinquedos. Para ficar ainda mais organizado, compre algumas caixas organizadoras e estimule, desde cedo, o senso de organização em seu filho.

Estantes e nichos também apresentam uma funcionalidade secundária de tornar o ambiente ainda mais bonito: elas podem ser o local de destino de livros de estudo e bichinhos ou brinquedos especiais da criança. Dessa forma, o local fica mais organizado e passa a contar com detalhes personalizados do dono do quarto.

Para mamães em fase amamentação, o detalhe da poltrona para esse momento deve ser levado em conta. Avalie o conforto do móvel e coloque-o em um local longe de estantes ou paredes com quadros ou fotos. A ideia é criar um cantinho em que mãe e filho possam usufruir desse momento tão importante.

Por fim, é essencial contar com um troca-fraldas no quarto do bebê: quanto mais gavetas esse móvel tiver, mais fácil se torna o armazenamento dos itens necessários. Ele também deve ser funcional a partir da altura dos responsáveis, evitando dores nas costas por ser muito alto ou baixo — por essa razão, a sua altura é variável. Em vez de comprar móveis prontos, confeccioná-los por meio de um marceneiro pode ser a solução para o tamanho da mobília e, de quebra, pode significar uma economia no bolso.

Avalie a iluminação do ambiente

Um quarto muito escuro pode significar um ambiente pesado, ao passo que um quarto com bastante claridade pode ser sinônimo de muito estímulo durante o dia e dificuldade para dormir à noite. Por isso, a iluminação do ambiente deve ser bem pensada.

Durante o dia, a dica é contar com a luz natural: se bater sol no quarto da criança, melhor ainda! A luz solar estimula a vitamina D no organismo e evita a formação de fungos ou ácaros em excesso, agentes causadores de alergia. Abra a janela e aproveite a luminosidade natural.

Em escrivaninhas ou mesas de estudo, é essencial contar com uma luminária de qualidade. Isso porque o momento de estudo ou de leitura requer uma boa iluminação, evitando-se, por exemplo, que o pequeno precise forçar a sua vista. De quebra, estudar com uma luz muito amena pode estimular o sono, tornando penoso o momento das tarefas escolares.

Já para a hora de dormir, é importante verificar como o seu filho lida com o escuro. Caso ele não goste de ambientes totalmente apagados, coloque uma luminária fraquinha ao lado da cama ou conte com luzinhas penduradas na cama para deixar o ambiente confortável e, de quebra, iluminado também durante a noite.

Com o passar dos anos, a luz acesa durante a noite pode vir a se tornar desnecessária, momento em que a luminária pode ser deixada apenas na escrivaninha. Não esqueça de conversar com o seu filho, para entender suas necessidades, e, em hipótese alguma, zombe do medo de escuro que ele possa ter: mostre a ele que você é a pessoa em quem ele pode confiar.

Deixe um espaço livre para brincar

O espaço livre no quarto, ainda que não seja tão grande, é muito importante para as crianças. Primeiro porque elas ainda não têm (ou têm poucas) responsabilidades, o que torna as brincadeiras tão atrativas nessa fase de crescimento. Em segundo lugar, um espaço livre no quarto para brincar significa mais organização pelo resto da casa.

Por isso, a ideia é separar um cantinho específico para esse fim. Ele pode contar com um tapete felpudo e arredondado, por exemplo, justamente como forma de delimitar a zona de brincadeiras dos pequenos. Caso o ambiente suporte, uma boa sugestão é comprar uma mesa de centro, não muito alta, e incluí-la nesse local para brincar.

Hoje em dia, existem até tintas específicas para compor paredes para serem desenhadas. Isso mesmo! O que antes era o pavor de muitos responsáveis, hoje se transformou no sonho das crianças. A tinta Risque & Rabisque é um produto a base d'água e cria uma película justamente para que os pequenos soltem a imaginação e desenhem o que tiverem vontade.

Caso a ideia seja um pouco exagerada em sua opinião, as famosas lousinhas de giz podem compor esse espaço para brincadeiras. Ou, mesmo, as lousas brancas com canetas colorias: essa segunda opção evita alergias e pó colorido pelo quarto.

Independentemente dos itens escolhidos, o espaço para brincadeiras é um local importante de ser construído e, quanto mais lúdico ele for, mais as crianças gostam. Aproveite para estimular o crescimento e desenvolvimento de seus filhos e componha esse ambiente com brinquedos educativos, quebra-cabeças e livros que despertem a curiosidade dos pequenos.

Coloque livros e brinquedos ao alcance da criança

Nessa mesma linha, deixar livros e brinquedos ao alcance da criança também é uma forma de educar e estimular a responsabilidade e independência de seus filhos, sabe por quê? Eles não precisarão chamar os responsáveis em cada momento que queiram pegar ou guardar um brinquedo ou um livro.

Claro que esse item apresenta duas faces da mesma moeda: pelo fato das crianças terem alcance aos objetos, o quarto pode virar uma boa bagunça. Por isso, a ideia é manter um bom diálogo com os pequenos e explicar que, para cada brinquedo ou livro retirado, é necessário guardá-lo de volta. E mais: só se pode começar uma nova brincadeira, caso o brinquedo anterior seja colocado em seu devido armário ou baú de armazenamento.

A criação de um ambiente estimulante — com lousas, brinquedos, cores alegres e livros — combinada com a possibilidade da criança escolher a sua brincadeira ou a leitura do momento, pode ser um grande influenciador de desenvolvimento de seu filho.

Dessa maneira, a criança aprenderá a se comunicar melhor e expressará as suas capacidades a partir das vivências estimuladas pelos responsáveis. Um detalhe pode fazer uma grande diferença, não é mesmo?

Considere os planos a longo prazo

A ideia é aumentar a família em um futuro próximo? Mudar de cidade? Guardar dinheiro para dar entrada no tão sonhado apartamento e deixar o aluguel no passado? Pois bem, cada família tem os seus objetivos e eles devem ser levados em conta, também, em momentos de decoração de ambientes.

Isso porque, de nada adianta gastar rios de dinheiro em um novo armário embutido se a ideia inicial é tentar um emprego em uma cidade distante. Da mesma forma que, caso a vontade da família seja continuar no atual apartamento, comprar móveis de pouca qualidade por serem os mais baratos do mercado pode ser um tiro pela culatra.

Antes de colocar a mão na massa, considere os planos a longo prazo. Pegue caneta e papel, anote as possibilidades reais e trace quais são os objetivos. Sabe aquela história de que qualquer caminho serve para quem não sabe aonde quer chegar? Pois bem, ela é extremamente válida.

Converse com a família, avalie os gastos, verifique as possibilidades, considere mudanças, reformas e obras e, pense sobre incluir mais componentes na família. Como já mencionado, planejamento é palavra de ordem: não só no quesito decoração, mas, também, na realização de planos de vida.

Evite os principais erros na decoração de quarto de criança

Depois de diversas dicas sobre como decorar um quarto infantil, é momento de verificar, também, quais são os principais erros na decoração do quarto de criança, justamente para evitá-los. Quer saber quais são eles? Continue a leitura e confira!

Não considerar os gostos da criança

O primeiro erro é não considerar os gostos de quem vai usufruir diariamente do quarto. Imagine só: se o seu filho pediu pela cor rosa na parede e você deixou esse pedido de lado apenas pelo fato de ser um menino, ele, com certeza, vai se sentir frustrado. Ao mesmo tempo, você sabe que a cor rosa nas 4 paredes vai tornar o ambiente extremamente cansativo. E aí, como resolver?

Uma solução para tal situação, além do diálogo, é sugerir a ele o uso da cor escolhida apenas em uma parede e em tom pastel. Prezar pelo meio-termo e pela negociação é um bom caminho a ser seguido, demonstrando à criança que ela é ouvida e que, ainda assim, é o responsável por ela quem toma a decisão final. Um caminho de confiança e respeito deve ser prezado.

Incluir itens demais no quarto

Quartos com muitos itens têm a grande chance de se tornarem entulhos. Assim, quanto mais brinquedos e outros itens estiverem espalhados, mais a bagunça se instala e espalha. Esse fator influencia em um mau comportamento infantil e no desenvolvimento dessa criança com o costume de desorganização.

Por isso, não inclua itens demais no quarto. Lembre-se de que o planejamento é o item primordial para a realização de decoração de ambientes e realmente use esse artifício: pegue caneta e papel e liste os itens necessários e os supérfluos que podem ser incluídos no cantinho da criança.

Comece a compor o ambiente a partir do mobiliário essencial, como cama, escrivaninha e guarda-roupa, para, então, partir para objetos que podem ser dispensados. Essa dica, além de evitar que o quarto se torne um depósito de bagunça, promove uma grande economia de dinheiro. O seu bolso agradece!

Optar por cores muito escuras

Cores muito escuras podem tornar o ambiente extremamente pesado e muito sério, fugindo totalmente do ambiente ideal para o desenvolvimento infantil. Além disso, a etapa de decoração do ambiente se torna um peso a mais no lugar.

A dica é, sempre, optar por cores claras e em tons mais amenos, por diversas razões: para criar um ambiente aconchegante, para a criança não enjoar, para tornar possível recorrentes mudanças nos itens de decoração, entre outros. Lembre-se que é muito mais fácil reformar e pintar um móvel do que pintar todas as paredes do quarto. Preze pela praticidade de contar com cores claras nas paredes e não se arrependa dessa decisão!

Não se atentar à iluminação

Como já mencionado, a falta de uma iluminação adequada também pode tornar o ambiente pesado e muito sério para a fase infantil. Por isso, é essencial conhecer os tipos de luzes existentes no mercado para, então, fazer a escolha mais adequada.

Além de contar com a iluminação natural, opte por luminárias mais potentes para a escrivaninha, por lâmpadas que causam aconchego, como a luz amarela, para iluminação geral do quarto, e por pontos de luz próximos a cama — principalmente se o seu filho tiver medo do escuro.

Da mesma forma que os itens de decoração podem fazer a diferença no momento de dar um toque especial e personalizado ao ambiente, a iluminação certa significa o foco de determinados itens. De quebra, ela estimula as horas de estudo, bem como torna mais confortável o momento do descanso. Saber a importância da iluminação faz muita diferença na hora de decorar o quarto de seus filhos!

Como o seu filho passará grande parte do tempo no cantinho preparado para ele — seja para brincar, dormir ou se dedicar aos estudos —, é essencial entender como mobiliar e decorar um quarto de criança. Por isso, anote as nossas dicas: faça um planejamento, escolha as cores, defina a mobília ideal, inclua os objetos de decoração, pense na funcionalidade dos móveis, avalie a iluminação do ambiente, deixa um espaço livre para as brincadeiras e considere os planos a longo prazo.

Por fim, evite os principais erros na decoração do quarto infantil e tenha sucesso nessa importante missão. Os seus pequenos agradecem e o ambiente em família fica muito mais gostoso! Aproveite!

Você achou que as informações trazidas em nosso post foram úteis?  Se você quiser receber mais dicas sobre imóveis, assine nossa newsletter e receba outros artigos como este diretamente em seu e-mail!

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório