8 dicas para separar o lixo em casa de maneira rápida | Blog MRV Engenharia

Encontre seu imóvel

8 dicas para separar o lixo em casa de maneira rápida

21 dezembro 2018

Lixeiras para coleta seletiva com instruções para o descarte correto

Das cerca de 180 mil toneladas de resíduos sólidos recolhidos por dia em todo o Brasil, mais da metade é jogada em lixões a céu aberto, sem qualquer tipo de tratamento. Fora o prejuízo econômico de mais de R$ 8 bilhões ao ano, isso também significa danos imensos ao meio ambiente.

Se cada um fizer sua parte, com pequenas atitudes diárias, esse panorama pode começar a se transformar pouco a pouco, e é justamente aqui que mora a importância da coleta seletiva de lixo e sua reciclagem. Separar o próprio lixo dentro de casa é o primeiro passo para que sua reutilização seja possível, aumentando o tempo de vida dos aterros, menor impacto ambiental e melhores condições de trabalho aos catadores e classificadores dos materiais recicláveis.

Confira oito dicas que vão ajudar sua família a incorporar o hábito da separação do lixo de maneira prática e envolvendo todos os moradores da casa.

1. Lixeiras diferenciadas

Tenha lixeiras diferentes para facilitar o processo, se possível de cores diferentes. O cesto para materiais recicláveis deve ser maior, já que vai comportar grandes embalagens, enquanto o de lixo orgânico pode ter um tamanho mediano. Não há necessidade de dividir os recicláveis em tipos, como, por exemplo, plástico e vidro, porque todos os materiais passam por triagem e são separados novamente.

2. Higienize os recicláveis

Não é preciso lavar os recicláveis com água e sabão, mas passar água neles é fundamental para evitar resíduos, contaminação e cheiro forte. Uma boa dica é deixar as embalagens dentro da pia junto com a louça a ser lavada. Deste modo, conforme o detergente for caindo da esponja, já vai levando junto as impurezas do material.

3. Mantenha tudo seco

Secar tudo é tão importante quanto remover os resíduos, então deixe as embalagens de cabeça para baixo na pia para que todo o líquido escorra, antes de coloca-las na lixeira.

4. Objetos compactados e prensados

Otimize o espaço da lixeira de recicláveis amassando as latinhas de alumínio e as garrafas PET. Ao invés de apenas amassar os papéis, rasgue-os em pedaços, para facilitar o trabalho da triagem e baratear o transporte. Além disso, feche todas as garrafas com suas respectivas tampas.

5. Separe os materiais de rejeito

Memorize o que é ou não reciclável: vidros limpos e secos, ok, mas lâmpadas, espelhos, vidros temperados e cristais, não. Caixas de pizza ou de lanches feitas de papel, mas engorduradas, também não podem ser recicladas, bem como papel higiênico, guardanapos e pontas de cigarro. Canos e esponjas de aço também ficam de fora desta categoria.

6. Os falsos recicláveis

Por mais que já haja tecnologia disponível para reciclar o isopor, o processo ainda não é economicamente viável. Deste modo, procure utilizar as peças deste material o máximo possível, reaproveitando-as. Na hora de descartar, separe-as dos materiais realmente recicláveis.

7. Descarte correto de resíduos

Pilhas, baterias, aparelhos eletrônicos e lâmpadas têm locais específicos de descarte, porque, se vão parar no lixo comum, levam décadas para se decompor, e liberam elementos tóxicos que contaminam o solo. O óleo de cozinha também precisa ir para a coleta específica, e nunca para o ralo da pia, onde acaba impossibilitando o tratamento da água. Alguns condomínios oferecem locais próprios para descarte deste alimento.

8. Mudança de hábito

Inclua na lista de compras do mês, cada vez mais e sempre que possível, itens responsáveis. Isso significa escolher produtos mais sustentáveis do ponto de vista de sua embalagem. Embora sejam mais caros, valem o investimento a longo prazo.

 Texto adaptado de Estadão

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório