Agora dá para sair do aluguel

30 março 2009

Os estandes de vendas receberam um grande número de pessoas interessadas na casa própria.

Centenas de pessoas foram aos estandes à procura de imóveis que se encaixam nas condições do pacote lançado na semana passada No primeiro fim de semana após o anúncio do pacote habitacional, vários estandes de vendas de imóveis em São Paulo tiveram movimento acima da média. Atraídos por facilidades como subsídio do governo e taxas de juros mais suaves para o financiamento da casa própria, centenas de pessoas foram buscar informações direto nas construtoras.

"Chegou a hora de comprar", afirma o analista de suporte de vendas José Francisco de Almeida Júnior. Com renda mensal de R$ 6 mil, ele se informou sobre as condições do projeto do governo durante a semana. No sábado, visitou dois estandes de vendas na zona norte, à procura de um imóvel na faixa de R$ 100 mil a R$ 150 mil. "O pacote vai ajudar a diminuir os juros do financiamento na Caixa Econômica Federal, após a entrega das chaves", disse o futuro comprador, que pretende adquirir um apartamento para morar com a namorada, a analista de sistemas Kátia Vieira Oliveira. Hoje, vive na casa dos pais. Kátia paga aluguel de R$ 400 por um apartamento em Osasco (SP), na região metropolitana.

(...)

"O grande desafio das construtoras é ocupar esse novo espaço", afirma Rubens Menin, presidente da MRV, uma das poucas que constrói para o segmento econômico desde a sua origem, na década de 1970. "O mercado não sabe trabalhar com baixa renda. O imóvel econômico para as construtoras é o de R$ 200 mil e isso não atinge nem 20% da demanda das famílias", diz a professora de planejamento urbano da USP, Ermínia Maricato.

Fonte: Diário do Comércio, 30/03/2009

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório