Combatendo as alergias em casa

28 julho 2017

Especialistas dão dicas sobre como cuidar da casa a fim de se evitar o surgimento de alergias e outros problemas respiratórios, muito comuns nesta época do ano



Decorado Porto Veríssimo em Porto Alegre/RS

O inverno 2017 chegou com tudo. No sudeste, algumas cidades registraram as mais baixas temperaturas em mais de quatro décadas. Com o clima tão frio e seco, o ar torna-se favorável à proliferação de alergias e outros problemas respiratórios, o que acende um alerta sobre a saúde. Não por um acaso, os cuidados que tomamos ao sair de casa nesta época do ano são redobrados. Todos querem escapar das temidas friagens. O que nem todo mundo se preocupa, porém, é justamente com o interior das casas, que pode ser o grande vilão. “Os ambientes inadequados  são os principais causadores e mantenedores de crises alérgicas. Morar em um lugar arejado, sem ventos fortes, com boa luminosidade, é com certeza mais saudável para qualquer pessoa”, alerta a médica alergista Rozana de Fátima Gonçalves. Segundo a especialista, é preciso estar atento, pois é justamente em casa que as crises alérgicas costumam ser despertadas.  “As pessoas nascem com o gene da alergia. Este pode despertar em qualquer época da vida e a pessoa sensibilizada passa a ter sintomas. Geralmente, este despertar ocorre quando a pessoa tem contato com ambientes empoeirados, poluídos, mofados”, pontua.




Decorado Spazio Rockfeller no Rio de Janeiro/RJ

Fica evidente, portanto, que a melhor maneira de evitar este tipo de problema de saúde é cuidando da casa desde os mínimos detalhes, que já começam no projeto de arquitetura de interiores. A arquiteta Fernanda Sperb é categórica sobre os elementos que devem ser evitados  em casas onde um dos moradores já manifestaram sintomas de alergias. “Tapetes, almofadas, bichos de pelúcia, cortinas, tudo que junte poeira é prejudicial para o alérgico”, enumera. Com relação aos tapetes, a profissional afirma que existem opções no mercado para quem não quer abrir mão do elemento, como os tapetes de nylon, que são fáceis de lavar. A designer de interiores Laura Santos, acrescenta: “Os tapetes emborrachados são ótimos, pois não são felpudos e são de fácil manutenção”.

Os livros também costumam acumular poeira, mas como muitas pessoas fazem questão de tê-los em casa, Laura Santos indica: “Uma boa ideia é acomodá-los em armários com portas ou básculas, em vez de prateleiras e nichos. Para quem quer mantê-los à mostra, a melhor opção é usar portas de vidro incolor”.




Decorado Porto Berlim em São Leopoldo/RS

De acordo com as profissionais, outra questão importante diz respeito ao material do mobiliário. “Numa casa de uma pessoa alérgica é importante sempre escolher móveis que possam ser higienizados com pano úmido, como os móveis com superfície de vidro, por exemplo”, explica Laura.

Fernanda recomenda ainda o uso de travesseiros antialérgicos e protetores de colchão. E Laura Santos finaliza: “Casa arejada e ensolarada é fundamental. Manter as janelas abertas e deixar o sol da manhã entrar pode ser de grande ajuda”.

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório