Como a coleta seletiva pode ajudar todo um sistema | Blog MRV Engenharia

Encontre seu imóvel

Como a coleta seletiva pode ajudar todo um sistema

07 março 2019

Além de gerar renda para milhões de pessoas e economia para empresas, a coleta seletiva e a reciclagem têm, também, o papel de evitar o acúmulo de lixo e driblar a ameaça de esgotamento dos recursos naturais não-renováveis. Não é à toa que, de olho na sustentabilidade, muitos condomínios já implantaram o recolhimento de materiais recicláveis em suas instalações, transformando-se em exemplos para o mercado imobiliário.

Tipos de resíduos para reciclar

Cada unidade fica responsável pela separação prévia do lixo conforme sua classificação – papel, plástico, vidro ou metal devem ser acondicionados em sacos ou latas específicos para dejetos que podem ser recuperados, enquanto os rejeitos orgânicos vão para outra embalagem, a ser descartada posteriormente.

A partir deste momento, cada condomínio determina como será a entrega dos resíduos, seja com a participação ativa dos moradores, que podem descer as embalagens até um local adequado para coleta e armazenamento, ou até mesmo com a designação de funcionários que os recolham de porta em porta.

Reciclagem: uma tarefa para todos

A conscientização de todas as partes, aliás, é parte fundamental do bom funcionamento da coleta seletiva. Um bom começo é distribuir e circular folhetos explicativos sobre o tema, oferecer pequenas palestras nas reuniões de condomínio, e municiar ao máximo tanto moradores quanto funcionários com informações a respeito, por exemplo, do quanto a coleta seletiva pode diminuir o desperdício e a poluição, além de gerar emprego e renda com o comércio dos recicláveis.

É bom lembrar que o processo guarda algumas exigências importantes, sendo a principal delas a existência de um espaço adequado, com condições salubres de trabalho para aqueles que forem lidar com os materiais reaproveitáveis e orgânicos, bem como sinalização adequada para evitar o risco de misturar sacos com diferentes tipos de resíduos, por exemplo.

O poder do hábito dentro de um condomínio

Ao perceberem as mudanças efetuadas e seus resultados, os moradores estarão mais propensos a se engajar cada vez mais na coleta, facilitando sua manutenção. A administração, pode, também, sazonalmente incentivar as unidades com o reporte de resultados e apresentando os ganhos ambientais pelos quais os condôminos são diretamente responsáveis.

A MRV se preocupa com os recursos naturais e com a redução de custos, de modo que já implantou em diversos empreendimentos a coleta seletiva de materiais, gerando um ganho àqueles que investem em seus imóveis. Para reforçar ainda mais seu investimento neste processo, a empresa criou o selo MRV + Verde, que sinaliza os itens sustentáveis entregues ao consumidor após o fim da construção.

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório