Como saber se um condomínio é seguro? Entenda o que avaliar

17 julho 2019

Imagem da entrada de um condomínio fechado da MRV com guarita, câmera de segurança e cerca elétrica

Um dos fatores avaliados na hora de escolher um imóvel é a segurança, o que muitas vezes leva os compradores a optarem por um apartamento. Realmente, trata-se de uma alternativa que traz várias vantagens nesse aspecto, mas é preciso avaliar algumas questões para ter a certeza de que escolheu um condomínio seguro.

Em determinados casos, os moradores e o síndico acreditam que basta estar em um edifício para que todos tenham segurança. Assim, esquecem de adotar medidas importantes para reduzir os riscos e evitar a ação de bandidos.

Pensando em ajudar você a comprar um imóvel realmente seguro, preparamos este conteúdo com as principais dicas para avaliar a segurança do condomínio. Confira!

Avalie a facilidade de acesso ao condomínio

As formas de acesso ao condomínio são um dos principais pontos relacionados à segurança do lugar. De modo geral, quanto mais fácil for a entrada de pessoas, mais vulnerável será o local, então avalie esse fator ao escolher o imóvel.

Analise como funcionam todos os acessos ao condomínio, como garagem, entrada principal e acesso pelos fundos, se houver. Todos eles devem ter medidas de segurança implementadas, a exemplo de portaria, portão eletrônico, alarmes etc.

O ideal é que os acessos sejam liberados apenas aos moradores, com controles codificados, senhas ou biometria. No caso de visitantes ou prestadores de serviços, eles devem ser devidamente identificados e autorizados a entrar.

Pesquise se a localização é segura

Procurar por informações sobre a localização do condomínio é uma medida fundamental. Existem alguns bairros com maior índice de violência, enquanto outros são mais tranquilos. Pergunte para conhecidos ou faça buscas na internet para saber mais sobre a região.

A segurança pública também é fundamental, então observe como é o atendimento policial na região e se as ruas são bem iluminadas. Não se esqueça de que você precisará circular pelo bairro com frequência, portanto é importante que se sinta seguro nesses momentos.

Mas tenha em mente que eventuais problemas relacionados à localização não fazem com que o condomínio seja inseguro. A diferença é que, nessas situações, as medidas de segurança adotadas são ainda mais imprescindíveis para que você tenha tranquilidade ao se mudar.

Verifique se há monitoramento com câmeras

A tecnologia é uma ótima aliada para quem busca proteção, então um condomínio seguro deve adotar medidas nesse sentido. Uma das opções mais conhecidas são as câmeras de segurança 24 horas, com armazenamento de imagens.

Essa ferramenta inibe a ação de bandidos, que ficam preocupados com a possibilidade de serem interceptados ou identificados. As câmeras também facilitam o monitoramento de movimentações estranhas, pois permitem identificar os riscos e tomar as medidas cabíveis de forma preventiva.

Porém, elas devem ser de qualidade, com uma boa resolução, e instaladas em pontos estratégicos. As entradas do condomínio, os elevadores e as áreas comuns são boas opções, mas sempre deve haver um aviso sobre o monitoramento para atender à legislação.

O ideal é que as câmeras sejam instaladas em conjunto com outras medidas, como a integração a uma central de atendimento e o suporte de empresas de monitoramento, que podem intervir diante de situações de risco.

Veja se os profissionais da portaria são especializados

A portaria é um dos serviços essenciais quando o assunto é segurança, então é comum a contratação de porteiros. Porém, nem sempre os condomínios buscam profissionais especializados para a função, o que prejudica a qualidade do serviço e pode deixar o local vulnerável.

Consulte quais são os critérios utilizados para a contratação de profissionais, incluindo os que exercem outras funções, como limpeza e manutenção. Muitas vezes, para garantir a experiência e a qualificação dos colaboradores, os condomínios optam pela terceirização de serviços.

Se for o caso, pesquise sobre a empresa responsável pelo serviço. Certifique-se de que ela seja de confiança e ofereça os treinamentos necessários para que os profissionais enviados ao condomínio estejam capacitados para a função.

Também é comum encontrarmos condomínios que optam pela portaria virtual. Nesse caso, o trabalho é feito de forma remota, com agentes especializados que se responsabilizam pelas funções de abrir e fechar os acessos ao edifício.

Para tanto, são utilizadas câmeras de vigilância e um sistema online. Essa opção também é bastante segura e traz um ótimo custo-benefício, mas é essencial que o serviço contratado seja de qualidade e proporcione um controle de acesso efetivo.

Confira se existe um plano de segurança

Não são apenas os equipamentos e profissionais envolvidos que tornam um condomínio seguro. Também há a necessidade de planos bem definidos, que expliquem os procedimentos a serem observados pelos moradores.

A convenção e o regimento interno precisam trazer regras sobre a entrada e a saída de pessoas, além de como proceder em relação aos visitantes, às entregas ou à recepção de prestadores de serviços, entre outras dicas de segurança.

Os moradores devem ser conscientizados sobre os cuidados ao entrar e sair do prédio. É preciso observar a proximidade de pessoas estranhas e conferir se o portão fechou corretamente.

 

Todos os funcionários e profissionais que trabalharem no condomínio devem ter capacitação específica sobre como cumprir suas atividades com foco na prevenção ou eliminação de riscos. O objetivo é sempre manter a segurança do local.

 

Consulte como é feita a manutenção preventive

 

Um erro comum quando se avalia a segurança de um condomínio é considerar apenas questões relacionadas à violência, como furtos e roubos. Contudo, é preciso lembrar que a segurança não está ligada apenas a isso, pois inclui outros riscos referentes à estrutura do imóvel.

 

Ao avaliar o condomínio, veja como é feita a manutenção preventiva, se todos os itens estão em dia e se existe um sistema efetivo de proteção contra incêndios. Aproveite para verificar como são os elevadores, as áreas comuns e os espaços de lazer, incluindo o estado de conservação e a estrutura de cada um.

 

Os sistemas de segurança precisam ser verificados e testados periodicamente, para garantir que estejam em pleno funcionamento. Afinal, de nada adianta ter alarmes que não disparam ou câmeras que não estejam armazenando imagens.

 

Observando essas características, você conseguirá encontrar um condomínio seguro para sua família. Além disso, não se esqueça de procurar por construtoras de confiança, para garantir a qualidade do imóvel e ter mais segurança na compra.

 

Gostou de nossas dicas? Se você está em busca de um apartamento seguro para morar, entre em contato com a gente e conheça os imóveis da MRV!

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório