Cuidados na escolha da descarga garante menos desperdício de água | Blog MRV Engenharia

Encontre seu imóvel

Cuidados na escolha da descarga garante menos desperdício de água

03 julho 2019

Imagem de um vaso sanitário com a descarga embutida em sua caixa d'água
Dentro de casa, são inúmeras as atividades nas quais uma família precisa utilizar a água. A higiene pessoal, por exemplo, é uma das que mais consomem este bem fundamental: são 35% do consumo total de uma casa ou apartamento apenas com funções como lavar as mãos, escovar os dentes e tomar banho.

Mais dados sobre consumo de água

Lavar roupas, por sua vez, é uma ação responsável por 20% do emprego da água, enquanto a limpeza e a preparação de alimentos utilizam cerca de 5% a 10% cada. No entanto, um dos locais em que mais se gasta água em todos os lares é no banheiro, com o acionamento da descarga – em média, 35% do total da água vão embora desta maneira. 

Isso significa quase um terço de tudo que se consome com este bem, de modo que garantir o bom funcionamento do mecanismo da descarga já é um bom começo para evitar desperdícios prejudiciais não só ao bolso, mas principalmente ao meio ambiente.

Descarga ecológica para economia de água

Uma das maneiras de promover o uso consciente da água para a descarga é a implantação de vasos sanitários com caixas acopladas. “Em cada descarga acionada por esse sistema, são consumidos seis litros de água. Já no sistema convencional, de válvula, o consumo é de 20 a 30 litros por descarga”, explica Evando Carvalho, gestor executivo de Planejamento da MRV Engenharia.

Além desta tecnologia, outra inovação importante no mercado da construção são os sistemas de acionamento duplo. O mecanismo é fracionado, o que oferece ao usuário a possibilidade de dar uma descarga parcial de três litros – ideal para limpar o vaso dos resíduos líquidos – ou uma descarga total, com seis litros, ideal para resíduos sólidos. 

Seja qual for a escolha, o importante é que se utilize sempre matérias de qualidade, que proporcionarão vida útil mais longa ao equipamento, e uma manutenção e reparos em uma frequência mais espaçada.

Fonte: Estadão

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório