Cursos profissionalizantes oferecidos pela MRV mudam vida de alunos | Blog MRV Engenharia

Encontre seu imóvel

Cursos profissionalizantes oferecidos pela MRV mudam vida de alunos

20 janeiro 2012



O projeto Escola de Produção disponibiliza cursos profissionalizantes para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Em Porto Alegre a ideia se concretizou por meio de uma parceria entre a Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), MRV e a MJP Engenharia. A primeira turma do curso se formou com sucesso. O bom desempenho dos alunos garantiu a contratação de 100% dos participantes.

Patrícia da Silva Sanhudo se inscreveu para o curso de carpintaria, pois estava em busca de capacitação. “Precisava de um trabalho com carteira assinada, e esta oportunidade trouxe independência, hoje sou uma nova mulher”, avalia. A carpinteira agora indica o projeto para seus familiares e vizinhos. “Falo com todos os adolescentes da região, meus familiares e vizinhos. Acho que os cursos são uma grande oportunidade e que não deve ser perdida”, incentiva Sanhudo.



Melhoria nas condições de vida e garantia do sustento da família também motivaram a procura pelos cursos profissionalizantes. “Agora tenho salário e não dependo mais do Governo para sustentar minha família, já posso investir mais na educação dos meus filhos. E essa é uma sensação muito boa”, avalia Rosimeire Rodrigues, carpinteira.

Já Fausto Roberto Lang, carpinteiro, procurou a Escola de Produção para ter a chance da contratação. “O mais importante de tudo foi a oportunidade oferecida pela MRV e pela MJP, pois eu já tinha feito cursos profissionalizantes e nunca fui contratado como era prometido, desta vez consegui a vaga”, conta. Ele diz ainda que indica o projeto aos seus amigos, pois sente que sua vida melhorou.

 



Mudar de profissão também pode ser uma excelente oportunidade, foi o que fez Joana Aparecida de Souza Custódio, que era técnica contábil e se inscreveu no curso de azulejista. “Estava desempregada e não conseguia trabalhar na minha área, então decidi mudar de área e me inscrevi no curso de azulejista. A promessa da carteira assinada me fez empenhar, estudar muito e participar das aulas, aprendi uma nova profissão e estou me sentindo valorizada”, conta.

O modelo da Escola da Produção foi implantado pela MRV Engenharia em 2011, procurando sempre atuar em parceria com governos locais. Outras unidades já funcionam em Curitiba, Londrina, Maringá, Joinville, Uberlândia e Porto Alegre. A companhia trabalha junto a outros municípios para expandir o projeto

A Escola de Produção

A cerimônia de formatura da primeira turma dos cursos de pedreiro, bloqueiro, carpinteiro e azulejista foi realizada no dia 15 de dezembro de 2011, no Paço da Prefeitura de Porto Alegre quando se reuniram os formandos, o Prefeito José Fortunati e os representantes da MRV e MJP Engenharia.



Os cursos foram ministrados pelos profissionais: Juliana Pippi Antoniazzi, Maurício Kehrwald e Tatiane Righi Scaramussa, colaboradores da MJP. As aulas foram realizadas três vezes por semana, durante um mês, nos canteiros de obras da MRV das regiões Leste e Partenon de Porto Alegre. A interação entre os professores e os alunos facilitou o aprendizado, garantindo bom desempenho durante as aulas teóricas e práticas, e a contratação de todos os alunos, com carteira assinada pelas empresas parceiras MRV e MJP Engenharia.

Segundo Jeanine Costa Godói, coordenadora de pessoal, a experiência e o desafio de criar e implantar os cursos da Escola de Produção foram um presente. “Conseguimos aliar inclusão social e qualificação de mão de obra, atendendo não somente as necessidades do mercado, mas também proporcionando oportunidade de sustento aos nossos alunos e, por consequência, à suas famílias”, conta.

O diretor executivo da MRV Engenharia, Rafael Souza, exaltou o cunho social do projeto, que capacita e emprega os formandos, que por sua vez atuarão na construção de habitações populares. O sucesso da escola de produção foi tanto que novas turmas serão iniciadas no mês de março e há planos para a formação de turmas masculinas e femininas.

Fonte: Comunicação e Assessoria de Imprensa

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório