Economizar dinheiro: quanto do salário poupar para comprar um apartamento?

03 setembro 2020

Casal de jovens economizando nas constas para comprar apartamento

Comprar um apartamento está no topo da lista de sonhos a serem realizados. Para comprar a casa própria, no entanto, é preciso ter uma boa consciência de quanto economizar.

Às vezes, é necessário mudar hábitos, cortar dívidas e se esforçar para fazer investimentos que valham a pena. Uma questão para quem deseja comprar o primeiro imóvel é determinante: saber quanto deve economizar do salário para conquistar esse objetivo.

Neste artigo, explicamos o que você precisa saber para economizar dinheiro e comprar seu primeiro imóvel. Confira!

Como organizar seu orçamento

Orçamento familiar x planejamento familiar

Ao economizar dinheiro para uma boa entrada na negociação do imóvel, é possível fazer um financiamento de acordo com o orçamento familiar. Mensalmente, as famílias gastam cerca de 25% com juros. Essa é a fatia utilizada pelas financiadoras para definir a quantidade de parcelas.

Por exemplo, se alguém ganha 2.000 reais, no financiamento a parcela mensal deve ser de aproximadamente 500. O primeiro passo para começar a economizar seria, portanto, se livrar de juros e dívidas.

Não deixar acumular dívidas de cartão de crédito e cheque especial pode ajudar — e muito — a amortizar a quantia de juros paga todo mês. Vale reduzir também gastos com programas fora de casa, viagens e compras que não são essenciais.

Investimentos certos para economizar dinheiro

Aplicar o dinheiro é uma ótima solução para poupar. Colocar o dinheiro na poupança é uma escolha para aqueles que gostam de segurança, embora o rendimento seja muito pequeno.

Evite comprometer todo o dinheiro da reserva com o imóvel. No caso, é aconselhável economizar mais do que a entrada. Por isso, o valor guardado deve ser seis vezes o orçamento mensal. Tente também financiar menos de 50% do imóvel, que pode ser aplicado em investimentos de pequeno risco. 

Depois da análise de diferentes situações, o ideal é poupar o necessário para alcançar o montante desejado, sem que isso signifique uma queda ou mudança significativa na qualidade de vida.

Convencionalmente, tendo em vista um salário médio brasileiro de 3 mil reais, o ideal é poupar 20%, ou seja, 600 reais. Porém, vale saber que, quanto mais você poupar, mais rápido terá o seu imóvel! 

Valor de entrada como base de cálculo

Entendendo melhor a base para financiamento de acordo com o seu rendimento mensal, agora é preciso compreender de quanto deve ser o valor de entrada. Para valer a pena fazer o financiamento e não se perder em juros, o ideal é tentar corresponder a um valor inicial o mais alto possível. 

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica pedem 10% do imóvel, em contraponto com 20% nos bancos privados. Em termos de juros, ambos possuem valores aproximados. Porém, o aconselhável é pagar a maior parte que puder à vista, ou em torno de 50% do valor do imóvel.

Como encontrar a melhor forma de pagamento

Simulações com diferentes rendimentos mensais

Vamos ver alguns exemplos do quanto pode variar o valor de imóvel de acordo com a renda mensal? Se uma família possui em seu planejamento financeiro uma entrada de 6 mil reais, as financiadoras colocam o teto de 186 mil para comprar a residência, disponíveis por meio de bancos públicos.

Nesse caso, é calculado que se pode comprometer até 30% da renda com as prestações do imóvel. A média do período de financiamento é de 30 anos, o máximo permitido, em geral. Em bancos privados, a porcentagem aumenta um pouco, podendo chegar até 209 mil reais.

Já se a família possui renda mensal de 10 mil, a quantia liberada para financiamento é de 313,88 mil no total do valor do imóvel. Na perspectiva dos bancos privados, é possível conseguir um imóvel de 350 mil reais.

Quem possui uma renda mais alta, como de 30 mil reais, esse número pula para 1 milhão.

Escolha a melhor forma de pagamento de acordo com seu perfil

Como explicamos, o valor liberado pelo banco depende da renda familiar. Apesar disso, antes de comprar apartamento você deve analisar quais são as melhores opções de pagamento. Além das instituições públicas, bancos privados oferecem crédito para quem deseja adquirir a casa própria.

Programas como Minha Casa Minha Vida oferecem financiamento com juros mais baixos, mas são voltados para determinados perfis de clientes. Então, se você se encaixa no programa, optar por essa forma de pagamento é uma boa ideia.

Algumas construtoras possuem programas de financiamento próprio. Mas, nesses casos, a taxa de juros costuma ser mais alta. Então, antes de escolher a melhor forma de pagamento, analise qual delas está dentro de seu orçamento para não se endividar.

O que avaliar para comprar um apartamento

Atendimento às necessidades dos moradores

Na hora de comprar um apartamento é importante analisar as necessidades. Uma pessoa que mora sozinha precisa de menos espaço do que quem tem família. Então, todas essas questões devem ser levadas em consideração.

Além do espaço, é importante avaliar se o condomínio tem área de lazer, se é seguro e se é possível fazer reformas no apartamento, futuramente. Esse último item deve ser considerado porque muitos empreendimentos não permitem reformas, como quebras de parede. Então se você pensa em reformar ou tornar dois ambientes apenas um, deve verificar se há essa possibilidade.

Documentos necessários para comprar um apartamento

Comprar um apartamento envolve mais do que fazer pesquisa, visitas e ter o dinheiro para dar entrada. É preciso reunir uma série de documentos que comprovem sua capacidade financeira e a veracidade das informações prestadas para que a compra possa ser concretizada.

Para que o banco autorize o financiamento, são analisadas diversas informações como financiamento de veículo e faturas de cartão de crédito. Isso porque essas dívidas influenciam no limite de crédito que será disponibilizado, já que essas contas afetam sua capacidade de pagamento.

Além dos documentos do comprador e de seu cônjuge — caso seja casado —, ainda é preciso apresentar ao banco os documentos do imóvel do vendedor, seja ele pessoa física ou jurídica.

Importância de apresentar os documentos necessários

Depois de escolher um apartamento para comprar é necessário apresentar ao banco a lista dos documentos necessários para comprovar renda e outras informações. Eles devem ser apresentados rapidamente, pois a análise de crédito só é feita quando a instituição financeira tem todos os documentos em mãos.

Por isso, é importante ficar atento para não perder seu imóvel, pois são vários documentos que são emitidos por órgãos diferentes. Então, há um prazo para que eles fiquem prontos e alguns precisam ser autenticados, o que gera custo para o comprador.

O ideal é já pedir ao corretor a lista de documentos para você providenciar enquanto visita alguns imóveis. Dessa forma, quando escolher seu apartamento, já terá algumas certidões prontas e poderá agilizar o processo e mudar para sua casa mais rápido.

Esses são os passos para economizar e conseguir comprar um apartamento e as etapas fundamentais para escolher um imóvel que seja adequado às suas necessidades. Esperamos que essas dicas tenham sido úteis e ajudem você na hora de realizar seu sonho da casa própria.

Agora que você já sabe as principais dicas para economizar dinheiro e comprar o seu imóvel, está na hora de entrar em contato conosco para conhecer nossas opções de apartamento.

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório