Homens querem conforto e funcionalidade | Blog Corporativo MRV Engenharia -€“ Mercado Imobiliário e lançamentos de apartamentos e casas

Encontre seu imóvel

Homens querem conforto e funcionalidade

30 novembro 2011

Organizados, práticos, vaidosos e cheios de bom gosto. Pouco tempo atrás essas características não se encaixariam na maioria dos perfis masculinos. Longe de ambientes insossos e rústicos, a casa do homem moderno está de portas abertas para ideias criativas e inovadoras capazes de transformar cada um dos ambientes.
A designer de interiores Rosana Silva esclarece que qualquer lugar deve ser decorado de acordo com o gosto e a necessidade do morador. “A melhor tendência, para mim, é a liberdade de expressão, a valorização de ambientes moldados pela história de quem vive ali, seus hobbies e paixões, deixando de lado regras e convenções”.

Adeptos da filosofia de Rosana, o pedagogo Anderson Sanguinete e o estudante de Gestão de Pessoas Nilton Soares conseguiram imprimir em cada detalhe do apartamento bom gosto e um estilo bem personalizado.
São eles os responsáveis por planejar e executar toda a decoração do apartamento que dividem em Belo Horizonte. O senso estético foi se desenvolvendo nas frequentes visitas a feiras de design de interiores e a partir de leituras de revistas especializadas no assunto. Os dois são super antenados às tendências de decoração. “É raro não mexer em nada por mais de um ano.Não tenho medo de arriscar, de experimentar o novo, de recomeçar”, diz Anderson.

CONFORTO
"Quanto mais prática e funcional for a casa, melhor", explica Rosana. E a maioria dos homens valoriza muito o conforto, a funcionalidade, a simplicidade e facilidade de uso e limpeza. Tal atitude é confirmada pelo pedagogo. “Estudamos a melhor disposição dos móveis, sempre atentos ao seu tamanho, à posição das tomadas, à facilidade de limpeza, à praticidade de ter sempre às mãos tudo que for mais importante”.
A sala do apartamento serve tanto para receber os amigos como para assistir TV e está integrada à sala de jantar. O sofá confortável e moderno acompanha a televisão de última geração instalada sobre um rack e o painel de madeira que ocupa toda a parede. Na parte superior, os nichos, que são bastante práticos, abrigam livros e adornos de tons neutros.
O papel de parede, clássico e sóbrio, demarca o ambiente das refeições feito sobre a mesa preta de cadeiras vermelhas. A decoração acompanha a sintonia de matizes e o espelho na parede amplia o pequeno espaço.
No quarto, conta Anderson, a ideia da decoração foi produzir notas de neutralidade e masculinidade, afastando os exageros. O tom mais claro da parede transmite a sensação de que o cômodo é maior do que realmente é. O truque é usado também na escolha da cabeceira horizontal da cama, que ajuda a alongar o ambiente. Novamente, os nichos regem a decoração. A cortina, que literalmente veste uma das paredes, confere leveza e tranquilidade.

PRÁTICO
A cozinha valoriza o lado prático que essa parteda casa deve ter. O vermelho das portas do armário serviu para contrabalançar com o restante do apartamento, que foi planejado para ser mais sóbrio.
Acima da pia, talheres e outros utensílios de cozinha ficam perfeitamente organizados. O gracioso adesivo de pinguim colocado na porta da geladeira, uma moderna referência ao tradicional, completa o ambiente já cheio de vida.
No banheiro, a cortina de poliéster quadriculada em preto e branco substitui o box de vidro, mais convencional. A preferência é justificada pela variedade de opções em estampas e pela praticidade na manutenção. “A cortina de poliéster é mais durável e completamente
diferente das cortinas de PVC que a maioria usa.
Além disso, para mantê-la limpa basta usar a máquina de lavar roupa”, explica Anderson. Apesar da constante e incansável busca por inovar, Anderson e Nilton fazem questão de manter os elementos que oferecem uma característica pessoal, um elo entre passado e presente. “A gravura da Yara Tupinambá – Arlequim – é o registro de um momento marcante. Ao mudar, recriar, reinventar, a intenção não é apagar os registros de quem fomos um dia, mas sim respeitar o passado e deixar que isso se reflita no lar”.

Fonte: Mariana Medrano para Revista MRV
Fotos: Divulgaçao Casa Cor/ Nidin Sanches/Nitro

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório