MRV há 40 anos construindo o primeiro de muitos outros sonhos

01 outubro 2019

Imagem externa da sede da MRV em Belo Horizonte com sua nova logo

8A história da MRV mostra como a perseverança pode transformar o mundo. Afinal, não faz muito tempo que três jovens visionários — Mário e Rubens Menim, junto ao dono da Vega Engenharia Homero Andrade — decidiram construir o sonho da casa própria em 1979.

No entanto, como era de se esperar, muitas coisas mudaram nessas quatro décadas. Entre grandes conquistas e decisões positivas, só nos últimos anos a empresa investiu mais de meio bilhão de reais em obras e infraestrutura para que seus empreendimentos oferecessem também qualidade de vida.

É com esse sentimento de realização que a gente convida você para conhecer um pouco de nossa inspiradora trajetória de sonhos. Acompanhe!

Saiba onde tudo começou

Quem poderia imaginar que tudo começou a partir da construção da primeira casa, localizada no bairro Vila Clóris, na Zona Oeste de Belo Horizonte? A então casa da rua dos Maçaricos existe até hoje. Essa construção, em 1979, mudou completamente a vida de nossos empreendedores.

O desafio de construir um lar que fosse bom, bonito e barato foi vencido com tanto sucesso que a renda da venda da primeira casa foi investida na construção de outras três moradias populares na capital mineira. Naquela época, esse tipo de empreendimento não era muito comum e as dificuldades se tornaram ainda maiores.

Foi em 1981 que os primeiros imóveis saíram do papel e, desde então, a empresa continuou construindo novos sonhos que transformam a vida de quem vive em um MRV. Assim, essa trajetória de sucesso começou a construir novos lares e não parou mais: no ano de 1981, ainda foram entregues os primeiros prédios em Contagem, segunda cidade a receber construções da MRV.

Descubra como foi construído o primeiro sonho

Em 1982, o país enfrentou uma grave crise econômica que dificultou os sonhos dos negócios que desejavam crescer no mercado. Diante disso, a MRV focou na redução de custos, com a missão de construir imóveis populares e mudar a vida de várias famílias.

O ano de 1986 foi transformador para a MRV, pois a sede própria foi fundada em Belo Horizonte. Trata-se de um sonho realizado que permitiu investir em novas ações transformadoras para que mais famílias tivessem a alegria e a satisfação de viver em um lar próprio para crescer financeiramente a partir dele.

A conquista da sede própria foi um acontecimento tão grandioso que possibilitou expandir a atuação além da capital mineira. Mais tarde, isso encorajou a ampliar as construções para mais de 160 cidades em todo o Brasil.

Grandes conquistas

A MRV teve grandes conquistas ao longo dos 40 anos de atuação. O principal ponto está no começo do processo de expansão: em 1996, a empresa fez sua primeira SA, que se tornou um verdadeiro embrião para a abertura de capital em 2007. Mesmo não sendo capital aberto, todos os anos a empresa oferecia Participação nos Lucros de Resultados (PRL) para seus executivos como bonificação.

Em 1996, Rubens teve a ideia de convidá-los a investir em ações da SA com os valores recebidos das bonificações, dobrando-os. Assim, os executivos passaram a nutrir um sentimento de pertencimento em relação aos valores da MRV, pois também se sentiam donos da empresa.

Com isso, surgiram os primeiros acionistas "sangue verde". Esse termo mostra que, para fazer parte do conceito da MRV, é preciso se identificar com sua proposta de pertencimento aos objetivos de grandes realizações. De maneira estratégica, a empresa decidiu fazer diferente do que normalmente acontecia no mercado.

Em vez de ir diretamente até a Bolsa de Valores, em primeiro lugar a MRV se organizou internamente para começar a abertura de capital. Tudo aconteceu com a ajuda de uma consultoria e um fundo de investimento — o inglês Autonomy. A partir disso, foram vendidas mais de 16.7% de ações.

Maior ação do segmento

O fundo inglês entrou com R$ 260 milhões e foi responsável por impulsionar a MRV na entrada da Bolsa. Em julho de 2007, ao saber exatamente onde estava pisando, a empresa optou pela abertura de capital da Bovespa. A transação é considerada a maior do segmento até hoje, com R$ 1,2 bilhão captado pela MRV.

O crescimento da empresa possibilitou o crescimento chegar a 100 cidades brasileiras de maneira rápida, mas sem perder a qualidade dos serviços. Para que a diferença fique evidente, saiba que eram lançadas quatro mil unidades por ano antes da abertura de capital. Depois do procedimento, o número saltou para 40 mil.

Pense em MRV e encontre uma construtora transformadora

Construir sonhos que transformam o mundo é a vocação da MRV. Mas, muito mais do que isso, os valores internos defendem que um novo lar tem o poder de mudar positivamente a vida de cada pessoa.

É justamente por isso que existe tanta preocupação em garantir qualidade de vida por meio de melhorias também da vizinhança nos condomínios MRV, construindo e revitalizando. Ao todo, só nos últimos três anos a empresa destinou mais de meio milhão de reais a obras. Veja alguns exemplos:

  • praças;
  • pavimentação de ruas, avenidas e calçadas;
  • creches;
  • escolas;
  • shoppings;

Tais ações têm o objetivo de trazer mais conforto e qualidade de vida para a comunidade local de nossos imóveis, garantindo o acesso e a inclusão de todos a um mundo de convivência e infraestrutura. Assim, o sonho da casa própria traz junto opções de lazer, educação e relacionamento de confiança entre vizinhos.

MRV e Minha Casa Minha Vida

Um dos pontos altos na história da MRV é o programa Minha Casa Minha Vida. Essa parceria foi fechada após uma ligação da então ministra da Casa Civil Dilma Rousseff solicitando uma conversa com o Rubens. No ano de 2009, o país havia acabado de enfrentar uma crise econômica com impactos significativos.

E foi assim que a MRV se transformou na primeira empresa a voltar suas atenções para as ações com a soma de R$ 722 milhões. Isso porque existiam vários fatores positivos, como terreno, dinheiro e força, para ascender nacionalmente.

O objetivo do Governo Federal era o de convidar as sete maiores companhias do Brasil para ajudar a criar um plano econômico e investir ainda mais no setor de habitação. Depois de várias reuniões produtivas do grupo, o programa Minha Casa Minha Vida surgiu no dia 26 de março de 2009.

Crescimento acelerado

Apesar de já ter crescido bastante depois da abertura de capital, a MRV alçou voos ainda maiores. Por ter sempre focado na área habitacional, o programa foi um verdadeiro divisor de águas ao surgir quando a empresa estava preparada para crescer. Sua atuação está diretamente ligada às faixas dois e três, em que as construtoras compram o terreno, constroem e aprovam o projeto no setor responsável da Caixa Econômica Federal.

Apesar de sempre ter existido no Brasil, o programa foi reestruturado para alcançar resultados positivos. A MRV é a maior construtura atuante no Minha Casa Minha Vida, com uma representação extremamente significativa de quase 13% no país.

MRV pelos próximos 40 anos

Durante esses 40 anos, a MRV conseguiu realizar o sonho da casa própria de mais de um milhão de pessoas, com 400 mil imóveis lançados em parceria com o programa habitacional Minha Casa Minha Vida. Mas a empresa apresenta outros números ainda mais transformadores, que podem dar uma dimensão dos próximos anos de atuação. Veja os principais a seguir:

  • 1,4 milhão de árvores plantadas nos últimos nove anos;
  • primeira empresa do setor a assinar o Pacto Global da ONU (em 2016);
  • mais de dois milhões de empregos gerados em 40 anos;
  • 50 mil apartamentos construídos por ano;
  • 1 a cada 200 brasileiros vive em um imóvel da MRV;
  • empresa privada que mais investe em patrocínios esportivos no Brasil.

Diante de dados tão impressionantes, fica claro que a MRV deseja se preparar para atender a qualquer tipo de demanda. Dessa forma, existe a necessidade de diversificar os negócios para se tornar conhecida não só como construtora, mas também como plataforma habitacional.

No final de 2017, a MRV traçou como meta alcançar 25% dos lançamentos da construtora no funding que vem da poupança em sistema SBPE. Na prática, são empreendimentos direcionados ao público de renda média. Atualmente, 10% dos lançamentos estão destinados aos empreendimentos com acabamentos diferenciados e propostas sustentáveis na construção.

Desde 2018, a MRV também colocou no mercado a Luggo, uma startup responsável por locar os apartamentos construídos pela empresa. Esse tipo de estratégia visa alcançar a nova geração que deseja ter o poder de acolher em vez de comprar, alugando um apartamento conforme suas possibilidades financeiras.

Além disso, existe um marketplace em que os clientes podem comprar eletrodomésticos e outros itens essenciais para decorar ou mobiliar seus apartamentos. Assim, fica mais simples já se mudar com tudo pronto para aproveitar a casa nova. Tudo isso acontece com um sistema de descontos que gira em torno de melhorar a experiência do público, sem remuneração.

Agora você já conhece a história da MRV. O próximo passo é investir cada vez mais em proporcionar uma jornada de qualidade até a mudança para a casa própria. Ao ajudar a conquistar esse sonho, a empresa acredita que suas maiores vitórias ultrapassam os números: para transformar o mundo, é preciso ir além dos muros dos lares.

Gostou das informações deste artigo? Então, assine nossa newsletter e receba outros conteúdos exclusivos sobre o assunto.

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório