Política da boa vizinhança: 6 dicas para conviver com vizinhos | Blog MRV Engenharia

Encontre seu imóvel

Política da boa vizinhança: 6 dicas para conviver com vizinhos

05 novembro 2018

Política da boa vizinhança: 6 dicas para conviver com vizinhos

A política da boa vizinhança é fundamental para quem vive em um condomínio. Não dá para entrar em atritos e viver se chateando com as pessoas que o cercam, por mais que as divergências existam. O respeito, a paciência e o diálogo são boas maneiras de lidar com a vida em sociedade, o que é basicamente o cotidiano de quem reside em prédios.

Este post vai ajudar você a ter uma relação melhor com seus vizinhos, exercendo sempre as melhores práticas que vão ajudar todo mundo a conviver em harmonia. Confira 6 dicas que farão a diferença na rotina do seu condomínio!

1. Conheça e respeite as regras do condomínio

Todo condomínio tem regras de convivência. Elas abrangem orientações sobre comportamento nas áreas comuns, dentro de casa e na forma como os moradores usufruem a infraestrutura dos prédios. É importante que, primeiramente, cada um saiba exatamente quais são as restrições. Isso garante que nenhuma atitude proibida seja praticada, ainda que sem intenção.

Conhecer as regras é obrigação de cada condômino, especialmente porque muitas delas estão sujeitas a multas. Informe-se nas reuniões ou solicite ao síndico uma melhor divulgação dessas orientações. Assim, você e seus vizinhos estarão sempre informados.

Fundamental também é seguir todas as regras e diretrizes à risca. De nada adianta conhecê-las e não colocar em prática. Lembre-se de que se alguém as definiu, foi pensando justamente na harmonia do condomínio. Segui-las é mostrar respeito e colaborar para a política da boa vizinhança.

2. Respeite as áreas compartilhadas

As áreas comuns do condomínio exigem ainda mais um comportamento comunitário entre todos os moradores. Elas são divididas e podem ser frequentadas por qualquer um, justamente por isso as regras precisam ser observadas e cumpridas. Há vários comportamentos que podem gerar desconforto, insatisfação e até mesmo atritos em alguns momentos.

No estacionamento, respeite as restrições de vagas e estacione adequadamente. Na piscina, respeite o espaço dos outros moradores e seja um vizinho agradável. O mesmo deve ser praticado na área de lazer, na portaria e em qualquer outra área compartilhada. A gentileza e a educação devem sempre ser as bases para o comportamento nesses locais.

Exercer essa preocupação pode ser muito positivo para gerar uma boa imagem para os moradores. A convivência em espaços comuns a todos será sempre um desafio, mas as chances de ter um condomínio harmonioso e pacífico crescem se cada um fizer a sua parte.

3. Cuide do lixo gerado

Esse é um problema muito comum e que deve ser pensado com todo cuidado para preservar a política da boa vizinhança. Lixo é coisa séria e deve ser controlado com todo cuidado por cada morador. O condomínio tem suas próprias regras e rotinas quanto ao recolhimento do lixo, então é fundamental segui-las para evitar qualquer situação desagradável.

Primeiramente, faça sempre o descarte adequado. Procure jogar seu lixo apenas em locais recomendados para que o recolhimento aconteça posteriormente. Não dá para deixá-lo em qualquer canto esperando que alguém o leve. Pode ser muito chato para os condôminos lidar com sacos que não são seus, especialmente se eles estiverem pelo caminho.

Outro ponto importante é a proteção do lixo. Use sacos fortes e que não tenham riscos de rasgos. Isso evita problemas no recolhimento. Vidros e objetos cortantes podem ser enrolados em jornais, evitando que alguém se machuque. Respeite também as diferentes lixeiras para descartes orgânicos, de metais, plásticos e papéis.

4. Busque conhecer os vizinhos

Por que não conhecer os vizinhos? Muitas vezes essa é uma ótima oportunidade de conduzir qualquer situação que possa ocorrer, fruto da convivência em um condomínio. Quando possível, puxe assuntos comuns, sem ser invasivo ou curioso quanto à vida pessoal de cada um. Gerar esse contato, mesmo que mínimo, mostra que você é uma pessoa aberta a diálogos.

Problemas futuros podem ser resolvidos muito mais facilmente se, em algum momento, você demonstrou abertura e simpatia. Por mais que você seja reservado, é comum precisar de outros vizinhos, ou até mesmo de contatos esporádicos para solucionar situações. Se você os conhece, terá mais facilidade para conduzir qualquer questão.

Naturalmente, não é necessário forçar nenhum tipo de amizade, se esse não for o caso. A política da boa vizinhança é fortalecida quando todos exercem a simpatia e a educação. Esse é o pontapé inicial para viver em um lugar melhor para todos.

5. Preze pela conciliação sempre que houver problemas

Problemas podem acontecer na vida em condomínio: desavenças, desacordos e até mesmo a falta de respeito das regras de convivência geral. Nesses momentos, é preciso ter calma, paciência e muito diálogo. A conciliação é sempre o melhor caminho para que tudo fique da melhor forma para os lados envolvidos.

Busque um diálogo direto se você enfrenta algum problema frequente com um vizinho específico. Com a abordagem correta, essa atitude não vai parecer incisiva demais, muito pelo contrário. Com respeito e educação, a outra pessoa entenderá que está gerando algum transtorno e vai considerar a sua solicitação. Esse pode ser sempre o primeiro passo para a solução.

O síndico também precisa exercer o papel de conciliador no condomínio. Se preferir, comunique o problema a ele e se mostre disponível para um diálogo de resolução do problema caso você não se sinta bem em abordar diretamente o condômino. Há maneiras pacíficas e simples de resolver essas questões e, acredite, essa é sempre a melhor saída!

6. Seja solidário e participativo

Ainda que não seja obrigatória na política da boa vizinhança, a solidariedade faz toda diferença na vida em comunidade. Pessoas têm diversas necessidades e, em algum momento, pode ser que a sua ajuda resolva algum problema. Por que não se mostrar disponível para auxiliar? Condôminos precisam estar sempre prontos para ajudar com questões mais simples possíveis.

A velha história do vizinho que bate na sua porta para pedir um pouco de açúcar é muito explorada em campanhas publicitárias, e realmente ela pode acontecer. Assim como essa situação, muitas outras ajudas e colaborações podem ser solicitadas e, de sua parte, também podem ser oferecidas de maneira ativa. Ajudar é sempre importante, já que você pode precisar de ajuda no futuro.

A participação no condomínio também se faz fundamental. Vá às assembleias, reuniões, confraternizações e momentos em que todos tomam decisões ou comemoram juntos. Você não precisa ser o amigo de todos, mas ter bom trânsito e contar com a simpatia dos moradores será ótimo para a sua convivência no condomínio.

A política da boa vizinhança se faz necessária para todos! Respeite as regras, se mostre simpático e acessível, além de buscar resolver qualquer questão em diálogos amigáveis. Seguindo as dicas que você viu neste post, o caminho é de harmonia e convivência em um lugar tranquilo.

Siga nossas redes sociais para acompanhar de perto mais notícias e informações! Facebook | Twitter | YouTube | Instagram | LinkedIn | Pinterest | Google Plus | Flickr

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório