Saiba como cortar gastos para comprar o primeiro apartamento

25 março 2022

Casal organizando as finanças para comprar o primeiro apartamento

É algo comum o seu dinheiro acabar antes do final do mês? Se a resposta for sim, você sabe muito bem o quanto isso pode ser ruim.

Além de te deixar sempre preocupado, essa condição dificulta a realização dos seus sonhos, como o de adquirir o seu primeiro apartamento.

Entretanto, não se preocupe, pois é possível inverter essa situação, principalmente se você souber como cortar gastos.

Pode parecer difícil em um primeiro momento, mas com um pouco de disciplina e força de vontade é possível fazer o seu salário render mais durante o mês.

Dessa forma, você conseguirá economizar para transformar em realidade os desejos mais ambiciosos.

Para saber como isso é possível, basta continuar a leitura deste artigo. Nele, você terá dicas simples e práticas que permitirão poupar o seu dinheiro. Vamos lá!

Conheça suas despesas

Para que você consiga cortar gastos, o primeiro passo é saber exatamente para onde vai cada centavo do seu salário. É preciso anotar tudo, desde o pãozinho do café da manhã até o que se paga de aluguel.

Em seguida, defina quais são os gastos essenciais e quais são os supérfluos. Dessa maneira, você conseguirá saber quais custos poderão diminuir ou, até mesmo, cortar.

O mais importante é criar o hábito de anotar diariamente o que você gastou durante o dia. Para isso, basta separar de 15 a 30 minutos para realizar suas anotações. Você gastará muito pouco tempo e as vantagens serão grandiosas.

Reorganize seus gastos 

Quem deseja comprar o primeiro apartamento deve estar ciente de que é preciso economizar. Mesmo que o plano seja fazer um financiamento imobiliário, as financeiras exigem que se pague uma parte do imóvel à vista.

Por isso, especialistas recomendam que você organize o seu orçamento mensal usando a regra 50-15-35. Ela é bastante simples e se baseia em dividir o seu faturamento mensal em 3 partes:

  • 50% do salário é usado para os gastos essenciais, como os de moradia, transporte, alimentação e educação;
  • 35% é dedicado para o lazer e alguns gastos extras;
  • enquanto os 15% remanescentes serão usados para as prioridades financeiras, como quitar dívidas e fazer uma poupança.

Caso você perceba que as suas despesas essenciais comprometem mais de 50% do seu salário, é necessário que você encontre soluções que permitam ajustar o orçamento.

Evite gastos desnecessários

Você já parou para pensar que, provavelmente, parte das suas despesas são desnecessárias? É bem provável que você não use tudo que o seu plano de celular oferece ou assiste a todos os canais de sua TV por assinatura. E a academia? Realmente é preciso ter o plano completo?

Com certeza você está pagando por algo que não usa e, se você mudar para uma assinatura mais simples ou cancelá-la, será possível economizar bastante.

Outro gasto desnecessário, que talvez você tenha, é comer fora. Caso diminua o cafezinho depois do expediente ou o restaurante aos finais de semana, com certeza sobrará mais dinheiro no final do mês.

Não compre nada por impulso

Um dos maiores inimigos de quem deseja comprar o seu primeiro apartamento é se render aos impulsos e comprar algo que não era necessário.

É muito comum as pessoas se renderem à vontade de aproveitar uma promoção e trocar o celular ou comprar a roupa da estação.

Outro grande vilão é o supermercado. Nunca entre em um estabelecimento desse tipo com fome ou sem uma lista do que é preciso comprar, caso contrário, com certeza, você gastará mais do que esperava.

Renegocie dívidas

Conseguir um financiamento para a sua primeira casa é algo complexo, e que como vimos acima exige muito preparo e planejamento.

Uma das coisas mais importantes na hora de se planejar isso, é parar para analisar e se programar para lidar com as suas dívidas, afinal elas têm grande impacto na hora de uma instituição avaliar o seu nome para permitir um financiamento.

Por isso, é muito importante tentar se livrar do máximo de dívidas possíveis, pois quanto mais limpo o seu nome estiver, melhores as condições de financiamento que você pode conseguir.

Além disso, com as dívidas pagas, o espaço do seu orçamento mensal dá uma alargada, permitindo aumentar a sua poupança por um tempo, caso ainda esteja disposto a guardar dinheiro por mais algum tempo.

Como nem sempre é possível pagar todas as dívidas de uma vez, buscar renegociá-las e fazer novos acordos pode ser a opção mais razoável.

Nesse caso, dê prioridade para as dívidas menores, pois, conforme elas forem terminando, vai sobrando mais dinheiro da sua renda para lidar com as dívidas maiores.

Importante dizer: priorize acordos que permitam pagar o mais rápido possível essas dívidas, não só para ter o nome limpo antes, mas também porque, muitas vezes, eles vêm acompanhados de redução nos juros.

É importante lembrar que, após se livrar das dívidas, a disciplina deve se manter para não contrair novas nem antes, nem durante a aquisição da casa.

Tenha objetivos de curto prazo

Já se sentiu como se você estivesse constantemente sonhando com objetivos distantes demais e que parecem, justamente por isso, inalcançáveis?

O grande problema aqui é nos darmos metas menores no curto prazo, fazendo com que fiquemos sempre procrastinando o início das atitudes que precisamos tomar para alcançar esse objetivo.

Não é nenhum segredo que o objetivo do qual nós estamos falando aqui é em relação à aquisição da casa própria, e que para tal nós precisamos guardar algum dinheiro.

Ficar adiando o início dessa poupança é a pior coisa que você pode fazer, por mais apertado que esteja, comece seu planejamento financeiro e sua poupança quanto antes.

A grande questão, muitas vezes, é que não precisa começar já poupando muito, comece com calma, guarde valores pequenos no começo, e vá traçando metas para aumentar esse valor a curto prazo.

Você pode ter uma meta anual de poupança total ou, então, se programar para todo mês guardar um pouquinho mais. Assim, não há necessidade de uma mudança brusca da sua rotina.

Avalie bem as prestações

Esse ponto está diretamente ligado ao seu planejamento financeiro e à questão da gestão das suas dívidas. Pensemos assim: você se planejou, guardou dinheiro, ao mesmo tempo que renegociou suas dívidas e foi se livrando delas.

Você finalmente consegue um financiamento para a sua própria casa, mas começam a chegar as parcelas do financiamento e você repara que talvez não aguente lidar com elas.

Essas parcelas são muito altas e, antes que se dê conta, elas consomem uma parte muito grande do seu orçamento, e pouco a pouco você volta para o nosso cenário de início.

Convenhamos que isso é uma das últimas coisas que queremos que aconteça. É por isso que prestar muita atenção e manter um sólido planejamento financeiro em relação às parcelas é tão importante.

Você precisa buscar um financiamento que caiba no seu bolso, considerando que ele não deve ultrapassar 30% da sua renda mensal, para evitar complicações.

Quando os valores ultrapassam esse percentual, a parcela comprometida se torna grande demais, e as chances de você se enrolar e acabar com novas dívidas aumenta significativamente.

Busque uma renda extra

Essa pode ser outra saída a ser considerada em alguns casos, já que é comum que muitas pessoas não consigam achar mais de onde cortar suas despesas.

Claro que, muitas vezes, já trabalhamos bastante em nosso emprego normal, mas buscar algum tipo de trabalho freelancer ou fazer de algum hobby uma forma temporária de renda pode ser uma ideia interessante.

Mas lembre-se de que esse dinheiro extra deve ser direcionado para a sua poupança para a casa, afinal, obter a sua casa própria é um bom investimento que vai te compensar lá na frente.

Claro que alguns sacrifícios terão que ser feitos, mas as recompensas e conforto futuro certamente compensarão no futuro.

Evite os cartões de crédito

O cartão de crédito é definitivamente um dos grandes vilões de todos aqueles que pretendem de alguma forma guardar dinheiro ou se planejar financeiramente.

O fato de serem valores que não precisamos pagar imediatamente e que não vemos sumindo da nossa conta fazem com que não sintamos os impactos desses gastos, e fiquemos muito tentados a gastar mais do que poderíamos.

É claro que ele também pode ser muito útil, principalmente para casos de emergência, quando algum gasto extra se prova realmente necessário, mas, em um geral, ele é apenas uma grande tentação.

Evitar usá-lo e priorizar os gastos em dinheiro é uma ótima forma de sentir mais os gastos e nós planejarmos melhor.

O objetivo deve ser sempre manter o seu cartão de crédito zerado, sem a necessidade de ter que se preocupar com a fatura do mês seguinte.

Evite todas as formas de fazer com que as compras no cartão de crédito sejam a sua forma padrão de gastar dinheiro.

Conheça as opções de financiamento

Essa é uma das partes mais importantes de todo o processo, afinal, o financiamento, e a forma que ele será feito é de extrema importância na condução das suas finanças e na aquisição do seu imóvel.

É muito comum, inclusive, que muitas pessoas se perguntem se o seu nível de renda é suficiente para conseguir um bom financiamento, por isso falaremos um pouco mais sobre isso a seguir.

Existem diversas formas de financiamento e com diversas instituições distintas, tendo até mesmo alguns programas governamentais como o Casa Verde e Amarela que é o sucessor do Minha Casa Minha Vida.

Há também a opção de financiamento por meio de bancos, tanto privados quanto públicos, como é o caso da Caixa.

Esta modalidade é a mais praticada, justamente por seus baixos juros para os financiamentos imobiliários.

Além disso, há sempre a opção também de negociar um financiamento direto com a construtora, o que pode ser uma oportunidade interessante.

Esses casos costumam ter mais flexibilidade na negociação, além de poder contar também com o uso integral do seu FGTS(Fundo de Garantia de Tempo de Serviço) para abater o valor do imóvel.

Ou seja, para alcançar nossos sonhos de adquirirmos nossa casa própria, é necessário nos programarmos e termos disciplina e planejamento financeiro. Assim, podemos nos preparar e estar atentos às melhores oportunidades para conquistarmos nossos tão sonhados novos lares.

Esperamos que tenham gostado do conteúdo e gostaríamos de convidar vocês para entrar em contato conosco, para ajudarmos você a conquistar sua casa própria!

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório