Saiba como usar o FGTS para comprar um imóvel

28 dezembro 2021

2 comentários
Economize dinheiro e use seu FGTS para comprar a casa própria

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito do trabalhador e consiste em um depósito mensal de 8% do salário, feito pelo empregador em uma conta destinada exclusivamente a essa contribuição. Diante disso, quem sonha em comprar um imóvel, fica na dúvida sobre como usar o benefício.

O objetivo do fundo, na prática, é formar uma reserva financeira que pode ser utilizada em circunstâncias especiais. Por exemplo, se houver demissão sem justa causa, se o contribuinte enfrentar doenças graves ou se ele falecer.

Como veremos neste post, o adicional é a possibilidade de usar o FGTS para comprar um imóvel. Continue a leitura e entenda!

A importância do FGTS para o mercado

Pensando em melhorar a economia do país por meio de uma injeção de dinheiro no mercado, o Governo Federal resolveu liberar os mais de R$40 bilhões que estavam retidos nas contas que não receberam depósitos até o dia 31 de dezembro de 2015, que são consideradas inativas. O dinheiro liberado poderá ser usado pelo titular da conta da maneira como ele quiser.

Contudo, é preciso lembrar que a finalidade do FGTS é dar alguma segurança para o trabalhador. Por isso, não convém desviar o dinheiro desse propósito. Ou seja, é muito mais sensato aplicar o dinheiro em investimentos sólidos do que gastar com coisas supérfluas. 

Nesse sentido, a opção pelo imóvel é uma ótima ideia. 

Como usar o FGTS para comprar um imóvel

O mercado imobiliário oferece opções de investimento mais sólidos. Portanto, mesmo que você não tenha todo o dinheiro para fazer o pagamento à vista, usar o dinheiro das contas ativas e inativas para dar uma boa entrada em um apartamento é uma ótima opção.

O restante poderá ser parcelado junto à construtora ou financiado por uma das linhas de crédito existentes, como a do Programa Casa Verde Amarela ou a do Sistema brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

Se você já tem algum dinheiro guardado, tudo fica ainda mais fácil. No caso, o dinheiro do FGTS pode ser usado para fazer a complementação do valor do imóvel, permitindo o pagamento à vista.

Vale ressaltar ainda que essa é uma excelente maneira de comprar imóveis. Afinal, quem compra pagando à vista tem grande poder de negociação, e é bem possível que consiga um bom desconto no negócio.

Liberação das contas inativas

Desde 2016, foi liberado o saque do FGTS inativo que havia sido depositado até dezembro de 2015. A liberação foi feita de acordo com o mês de aniversário dos titulares das contas. Dessa maneira, se os depósitos em conta são interrompidos, o trabalhador pede demissão ou é demitido pelo contratante por justa causa, a conta se torna inativa.

Ainda que esteja inativa, essa mesma conta ainda está vinculada aos dados do empregado, recebe juros e tem correção monetária em relação ao saldo. Tem direito ao saque de contas inativas, os trabalhadores que atuaram até 31 de dezembro de 2015 e não sacou o FGTS ao sair do emprego. Seja porque pediu demissão ou foi demitido por justa causa.

Saque de contas ativas

Mas os recursos das contas ativas também podem ser utilizados para a compra da casa própria. Para tanto, o trabalhador deve cumprir os seguintes pré-requisitos:

  • não possuir outros financiamentos ativos no Sistema Financeiro de Habitação;
  • três anos de depósitos de contas do FGTS, mesmo que sejam recolhimentos de diferentes empregadores;
  • não ser o proprietário de outros imóveis na mesma cidade.

O saldo retirado das contas do FGTS pode ser usado em todos os planos de financiamento da MRV. Isso vale até mesmo para os beneficiários do Programa Casa Verde e Amarela que é o substituto do Minha Casa Minha Vida.

Os imóveis que são financiados pelo SFH precisam custar no máximo R$950 mil, se estiverem em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, em São Paulo ou no Distrito Federal, e no máximo R$800 mil nos demais estados brasileiros.

A cada dois anos, os recursos do FGTS podem ser utilizados para abater parcela ou fazer a quitação do financiamento. Outra opção é fazer o saque para quitar parcelas de consórcio imobiliário ou para dar lance nos leilões que são realizados nas assembleias de consorciados.

Saque-aniversário

Existe ainda a possibilidade do trabalhador optar pela modalidade do saque-aniversário para obter determinados valores de seu FGTS. Assim, após solicitar no aplicativo ou site esta modalidade do benefício, é retirado uma vez por ano uma parte do saldo no mês de aniversário.

Além disso, o cálculo acontece de acordo com tabela divulgada pela Caixa Econômica Federal. Vale lembrar que quando selecionar o saque-aniversário, o trabalhador não pode sacar o total da conta por motivo de rescisão, mas recebe normalmente todas as outras modalidades e isso inclui a multa rescisória.

Regras de uso

O imóvel comprado com recursos do FGTS deve ser usado exclusivamente para compra da casa própria e não para aluguel ou reformas. Além disso, também deve ficar em localização urbana, já usado anteriormente ou novo, não pode ter nenhum tipo de pendência na matrícula por dívidas do vendedor, em caso de revenda de imóveis, ele não deve ter sido comprado com o uso do FGTS nos últimos três meses.

A documentação necessária para usar o FGTS na compra de um imóvel é um processo muito simples. Você precisa reunir:

  • carteira de trabalho;
  • seu último contracheque;
  • comprovante de residência;
  • carteira de identidade e CPF.

Se tudo estiver em dia, será preciso preencher um formulário de solicitação e enviá-lo ao correspondente bancário.

Se o financiamento for feito por mais de uma pessoa, como um casal, os dois podem usar os dois saldos na compra. Em uma situação como essa, você pode contar com a ajuda de um corretor MRV para tomar a melhor decisão e as condições que se encaixam com suas necessidades.

Comprar ou construir

Quando se fala em comprar o imóvel dos sonhos, uma dúvida é muito comum: comprar ou construir? Com o mercado sempre em alta e condições cada vez mais facilitadas, você precisa avaliar as perspectivas de maneira muito particular de acordo com suas possibilidades, os objetivos para a futura casa e como a família se enxerga em longo prazo.

As duas opções apresentam muitas vantagens e tudo depende do perfil do comprador. Por exemplo, construir um imóvel desde a planta permite deixar cada cômodo com a estrutura totalmente planejada. Além disso, os terrenos costumam ter um custo menor do que um apartamento já completamente pronto.

Enquanto construir um imóvel por conta própria exige o seu acompanhamento constante da obra, contratação da mão de obra qualificada, compra dos materiais, negociação de prazos com seu pedreiro, cuidados com detalhes burocráticos como emissão de documentação como ART, registro da planta do imóvel junto á Prefeitura de sua cidade e do Habite-se na Caixa.

Sem falar, que depois de dois anos você não poderá utilizar o saldo de sua conta do FGTS para terminar a sua obra ou realizar melhorias nela. Quando se usa seu FGTS para financiar seu imóvel, você não precisa se preocupar com nada disso. Sua única preocupação será manter as parcelas do seu financiamento sempre em dia para evitar problemas com o banco e construtora.

Um imóvel comprado na planta se destaca também na valorização. Com o passar do tempo, esse tipo de empreendimento se transforma em um investimento de baixo risco. Pois a valorização ocorre com o desenvolvimento da região, dos comércios e serviços ao redor.

Menor valor em região valorizada

A compra na planta pode ser vantajosa também pela possibilidade de pagar um preço menor em uma região valorizada que tenha uma boa qualidade de vida, estrutura e segurança. É uma maneira de escolher uma região que se encaixe com suas expectativas sem ir além do orçamento disponível. Inclusive vale ficar de olho nos bairros que estão em desenvolvimento, oferecem soluções sustentáveis e apostam no bem-estar dos moradores.

Conforto e segurança

Para quem deseja ter uma boa saúde financeira e tomar boas decisões com o dinheiro, o imóvel pronto é uma excelente escolha. Isso porque com toda sua estrutura pronta, o proprietário consegue calcular de maneira muito específica quais serão as despesas com a mudança, decoração e qualquer pequeno ajuste. Esse conforto e segurança se transformam em um diferencial e tanto na qualidade de vida.

Facilidade de financiamento

Imóveis prontos, de maneira geral, possuem facilidades de financiamento quando comparados com as plantas. Apesar de existir crédito para a construção, porém, para usar em casas já finalizadas é mais rápido e com menos burocracia. É possível programar a vida financeira para pagamentos ao longo do tempo e isso permite gerenciar as decisões com o dinheiro sem perder em qualidade no dia a dia.

O grande diferencial é acionar o FGTS de maneira inteligente para conquistar um bem duradouro que se valoriza com o tempo e é capaz de mudar a perspectiva dos moradores com mais tranquilidade em cada passo do seu próprio cantinho.

Pronto! Agora ficou claro como usar o Fundo de Garantia para comprar um imóvel. O mais importante é colocar tudo na ponta do lápis para acionar o FGTS no momento correto sem desequilibrar as finanças. Com isso, fica muito mais simples conquistar a casa própria tão sonhada e elevar a qualidade de vida de sua família em diferentes níveis.

Gostou das informações do artigo? Então confira mais informações para usar seu FGTS em um imóvel da MRV.

Comentários

ingrid graciele gomes dos santos
pedi conta da empresa e o fgts não foi depositado por ela, ainda será. Quando consigo usar o fgts pra comprar meu imovél
MRV
MRV disse: 09 agosto 2021
Olá Ingrid, tudo bem?
Sim, você pode utilizar o saldo de sua conta inativa no FGTS para comprar a casa própria. Aqui no Blog da MRV temos este post falando mais sobre conta inativa do FGTS e como você pode aproveitar da melhor forma o seu dinheiro. Boa leitura!

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório