O imóvel foi entregue, mas não tem dinheiro para mobiliar? Saiba o que fazer

03 maio 2012

Uma das maiores conquistas dos brasileiros é a realização do sonho da casa própria. E conseguir um lar não costuma ser fácil e, muitas vezes, requerem anos de financiamentos e espera para a entrega do tão sonhado imóvel.No entanto, muitas vezes, nem tudo sai como o planejado. É comum os proprietários receberem o imóvel sem ter uma reserva para reformá-lo ou mobiliá-lo. Nesses casos, o que era um sonho pode acabar virando um pesadelo. Segundo o economista e professor do MBA Gestão de Riscos da Trevisan Escola de Negócios, Cláudio Gonçalves, nesses casos, o principal passo é realizar um planejamento. “O proprietário não pode agir por impulso ou empolgação e assumir novas dívidas, na euforia de se mudar”, explica Gonçalves.Planeje sempreO especialista ainda explica que, nos casos em que o proprietário já mora sozinho, ele deve aproveitar os móveis que tem e não adquirir mais dívidas, no impulso de comprar tudo novo. “As pessoa geralmente tem a ideia de casa nova tudo novo, mas esse é o primeiro passo para cair no endividamento. O indivíduo tem que ter consciência de que agora, além das prestações do financiamento, ele tem gastos com o condomínio, entre outras despesas”, avalia Gonçalves. Fazer um planejamento anual, colocando no papel o quanto você ganha, o quanto sobra e o que é possível fazer com essa reserva.Se o novo proprietário mora com os pais, ele também deve avaliar a possibilidade de alugar o imóvel por um período de um a dois anos, para juntar uma renda extra e ir adquirindo os móveis aos poucos.Segundo imóvelO economista explica que, nas situações em que o proprietário vendeu um imóvel para adquirir outro, ele deve reservar um fundo para a reforma do novo apartamento. Este também deve utilizar os móveis antigos e se livrar do pensamento: “casa nova, tudo novo”. A orientação é deixar para trocar os móveis futuramente e aos poucos, pois nessa fase de transição a última coisa que se deve fazer é assumir novas dívidas.
Continuar lendo

Governo lança segunda fase do programa Minha Casa, Minha Vida na quinta

15 junho 2011

14 de Junho de 2011O governo federal lança nesta quinta-feira (16) a segunda fase do Programa Minha Casa, Minha Vida. O evento acontece em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília. O início da segunda etapa só depende de sanção presidencial de projeto de lei de conversão (oriundo da medida provisória) aprovado pelo Senado em maio deste ano. O prazo para a sanção termina no próximo dia 17.A nova etapa do programa prevê a construção de cerca de 2 milhões de moradias até 2014. De acordo com o...
Continuar lendo

FGTS: Como usar o dinheiro na compra da casa própria

24 setembro 2009

O sonho da casa própria é quase uma unanimidade entre os brasileiros. E o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma grande ajuda para realizar esse sonho. Os trabalhadores podem usar o saldo do FGTS para a entrada, abatimento do saldo devedor e quitação do imóvel, reduzindo assim a exigência de recursos próprios que precisam desembolsar.E é cada vez maior a procura por esses recursos para a aquisição da casa própria. Segundo dados da Caixa divulgados recentemente, o montante de saques...
Continuar lendo

CEF liberou a compra de 11,5 mil imóveis em MG

10 março 2009

A Caixa Econômica Federal financiou a compra de 11,501 mil imóveis em Minas Gerais no primeiro bimestre do ano, 12% do total nacional, segundo dados divulgados na última sexta, dia 6, pelo banco.O montante destinado à habitação somou R$ 443 milhões de janeiro a fevereiro, valor 105% superior ao registrado em igual intervalo de 2008, quando a demanda pro crédito para a casa própria foi responsável por R$ 246 milhões para 5,601 moradias.O resultado dos financiamentos imobiliários em janeiro deste...
Continuar lendo

Imóveis de 3 quartos representam 48,9 dos vendidos

29 janeiro 2009

Levantamento divulgado pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação) revela que os imóveis de três dormitórios responderam por 48,9% das 1.760 propriedades novas comercializadas na cidade de São Paulo em novembro de 2008.Considerando o valor comercializado no décimo primeiro mês do ano passado, o segmento de três quartos representou 55,6% do total. Os imóveis de dois dormitórios, por sua vez, responderam por 38,7% dos imóveis vendidos e por 16,6% do valor comercializado.Ainda de acordo com o...
Continuar lendo